Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de um urso

Um diário que não será diário mas repleto de coisas boas e más repleto de vida

Diário de um urso

Um diário que não será diário mas repleto de coisas boas e más repleto de vida

50 sombras

De um coração morto

Morto pela vida e as lágrimas que ela traz.

Pelos encontros e desencontros que deixam marcas indeléveis. 

Morto pela tua ausência 

Ontem li algures que nso há nada pior que duas que se amam mas estão em fases diferentes da vida. 

Concluo, aliás conclui que no fundo que foi isso que nos aconteceu, tu evolui até e cresceste como sempre é eu fiquei para traz com as minhas sombras os meus medos as minhas inseguranças. 

Hoje a nossa relacso não passam de recordações, de lágrimas, de msis uma sombra da felicidade que não mais volta, não vale a pena dizerem que melhores dias virão potwmrwue sei que é mentira, que são só palavras de conforto de quem me tem carinho mas que as vezes até os próprios não acreditam nas palavras que estão a dizer, não me digam que ela é que perde porque quem perdeu a grande opurtunidade de ser feliz fui eu, não ne digam que mulheres já muitas porque ninguém é substituívelna nossa vida muito menos wusbdo se trata do grande amor da nossa vida, não me digam que o futuro será didonjo porque é mentira, a verdade é que sem ti sou apenas a sombra de mim, não só por ti mas por tudo aquilo que reprermwwntascoelos momentos vividos pela força que se foi contigo, por tudo o que talvez so eu e tu consigamos entender, muitos são is que me tebta o confortar, acredito nas suas boas intenções mas nada nem ninguém me poderá tirar desta escuridão e a cada te tati a de seguir em frente entendo melhor isso é sabes porque porque me vê s sempre invariávelmente há memória ao coração, porque não consigo amar não consigo apegarme, o meu coração morreu tal cono o Grey sem Anastacia steel eu sem ti sou só sombras de um ser incompleto e infeliz que vive do passado sem presente e sobretudo sem futuro. 

Um ser a quem só a morte pode trazer paz. 

 

 

 

Que a morte me abrace de vez

O boss ac tem uma música com a Mariza em que um dos versos diz  "será a vida apenas uma corrida para a morte, cada um com a sua sina cada um com a sua sorte" acredito que temos muita influência nessa "sina" e nessa "sorte" mas muito, mesmo muito do que nos acontece está destinado não controlamos.

Engraçado como nessa corrida de que o boss ac fala ganha quem chegar em último pelo me os assim pensam os comu s mortais aqueles que incautos ou esperancosos vivem a vida de sorriso no rosto e a tevtar descobrir um raio de sol no meio da merda que é a vida. 

Sim meus caros a vida é uma merda e desenganese quem pense o contrario, é injusta e fraca com os fortes e forte com os fracos, e implacável. Se temos culpa claro que sim afinal também nos pomos a jeito tantas e tantas vezes, no fim de contas a culpa ndo é da vida que apenas seguiu o seu rumo, e isso sim culpa nossa, que não criamos defesas.

E eu? A nossa querida Mia disseme "abraça a vida" abraço? Abraço o que? Se eu odeio esta merda a que chamam vida? Abraço o vazio que sinto que vejo? Abraço a solidão? Abraço o perder das pessoas que msis amo e admiro como se fossem grãos de areia a fugir e das mãos?

Abraço a solidão que me espera amsnha pior do que é hoje?

Não obrigado sei que tenho um filho e é por ele que me vou manter do mas tudo o que quero é que o tempo passe e se msncinho a morte me leve para a paz eterna onde me poderei finalmente ndo pensar nao viver nso chorar não falar não ver e acima de tudo não sentir, não co de o quem goste de viver mas reservo é no direito de odiar a vida de me se tir mais leve apenas no leito do sono com um antidepressivo e dois calmantes, drogas que me controlam os impulsos e me dês vinculam de mim do que sou ou fui em tempos, a verdade é esta já ndo sou nada funciono a lei de comprimidos se drogas não wyeyo terapias nem promessas de cura porque não existe, viver dói apre do isso há minha custa do quero que as horas de sono em que estou melhor se possam transformar na eternidade que a morte venha de msncinho e me leve deste inferno que é a vida 

Que a morte me levasse de vez

Antes de mais pedir desculpa pelo post anterior, devem ter precebido que nso fui eu quem o escreveu mas alguém que sabendo os meus dados de acesso ao e-mail e da existência do blog se achou no direito de vos vir incomodar.

Apesar de tudo este atrevimento alheio valeu-me para preceber que de facto não vos faço falta, aqui o bairro fica muito melhor sem mim, se isso me dói? Estaria a ser hipócrita se dissesse que não, mas também vos compreendo, falar de tristeza e morte é pesado, é tabu, é acima de tudo algo que a grande maioria de nós prefere não ler (legitimimamente) porque a vida já é complicada demais e precisamos é de algo que nos anime, não crítico aliás fui eu que me afastei precisam te por achar que pouco ou nada tenho para acrescentar e para vos escrever,

Sinto-me tão inútil tão sozinho que nem a morte me quis levar, sinto-me um quase ser invisível, um perdeito vazio cada vez mais insignificante, talvez esta vã tentativa não di que por aqui, talvez me falte a força até para fazer algo infalível, talvea eu nso passe de um fraco. 

Notícias

Boa noite aos leitores deste espaço. Resolvi escrever este post pois apesar de já nada ser escrito por aqui há muito tempo, vejo que continua a ganhar subscritores, não sei se este espaço voltará ao activo se fará sentido, digam vocês ao urso se o querem por cá. 

Sim o urso tentou aquilo que muitos de vocês sabem pelo que leio, e talvez fosse melhor que o tivesse conseguido, sei que soa frio mas, acreditem talvez fosse melhor uma vês que já ninguém o consegue ajudar 

(post escrito por um familiar do urso) 

 

Cheguei ao limite das minhas forças

Não aguento mais, não podia ser mais evidente, o afastamento cada vez maior é evidedebte da pessoa que amo destruiu-me destruiu os meus sonhos, a capacidade de sonhar.

Sinto-me mais do que exausto doente, o corpo já dá sinais evidentes, tenho crises de anseadade que não me deixam dormir, sinto a cabeça pesada e a estoirar, o vazio e cada vez maior, a carência é também ela evidente, sinto-me fraco sem forças, sem coragem, sem perspetivas de futuro, sem nada.

Além das crises de anseadade tenho dores de cabeça e as funções básicas desreguladas, a paciência essa partiu para parte incerta. 

Eu não sou isto eu nso quero ser isto

Alguém desse lado tem algum concelho ou me pode ajudar?. Estarei eu no fim? Pelo menos no meu limite estou

Estou há beira de um esgotamento nervoso 

Socorro

O que é que eu não tenho?

Há dias em que só me apetece perguntar o que é que eu não tenho, o que me falta ou o que tenho de errado? Porque é que todas as minhas relações, e quando me refiro a relações não falo só das amorosas  acabam todas no mesmo, num afastamento  que estou eu a fazer de errado? Será que é a minha depressão é consequebte negatividade que afasta as pessoas todas  mesmo os amigos? Será que é a minha carência? Não entendo, cada vez me sinto mais só, cada vez si to mais que quando tento aproxinar-me de alguém esse alguém afastar-se de formas as vezes cordiais e afáveis outras nem tanto, a solidão cada dia que passa é maior a ausência da pessoa que amo cada vês se torna mais evidente longa e difícil, te tar ter outro alguém? Só para suprir a carência não seria justo e mesmo que tentasse quem me iria querer afi al como escrevi atrás toda a ge te we afasta, cada dia si to mais que não nasci para ser feliz.

Serei eu ma pessoa?

Terei nascido na época errada? Porque toda esta solidão forçada?

Alguém tem respostas? 

Acho que cheguei ao grau 0

Estou sem escrever aqui a cerca de uma semana  nem sei se alguém já notou a minha ausência visto que a minha presença por aqui não tem sido muito assídua, a verdade é que acho que cheguei ao grau 0, muitos temas teria eu para escrever, muita "tinta" teria eu para fazer escorrer por aqui e nos meus outros dois cantinhos, a verdade? A verdade é que me falta tudo, falta-me a inspiração, falta-me a vontade de escrever, falta-me a vontade até de ler, sim amigos perdoem-me por não estar presente nos vossos Blogs como antes, mas se isto dá escrita antes era um porto seguro algo em que me resguarda a e me dava prazer, hoje já nem paciência para isto tenho, já nso tenho paciência para nada nem para mim mesmo, nem para o que escrevo penso e digo, sinto-me exausto física e sobretudo psicológicamente.

Perdoem-me

Mas acho que bati no fundo

Quem ama não agride

Quem por aqui passa e lê há algum tempo, sabe que tenho um grande amor por uma mulher, amor esse que e fez viver momentos inesquecíveis mas que hoje em dia não e correspondido, tendo havido um certo afastamento que me dói imenso.
A minha análise de hoje parte do ponto acima para falar do assunto que está na ordem do dia, sim esse mesmo a violência domestica.
não consigo perceber o que passa na cabeça de um homem para agredir verbal ou fisicamente uma mulher, , tenho pelas mulheres em geral o maior respeito e admiração, e, podendo isto ser interpretado como um preconceito ou uma forma de estar machista (coisa que não me considero e não pretendo passar essa ideia, pedindo desde já desculpa às mulheres que me lêem, se isto vos parecer machista) tenho sempre um sentimento quase paternalista de protecção, não olho pra as mulheres como seres inferiores aos homens, bem pelo contrario, um ser humano tão multifacetado e com o dom maior de gerar vida, tem de ser protegido e é muito por ai que vem este meu lado protector, ao mesmo tempo admiro imenso as mulheres guerreiras, mães solteiras, empresárias lutadoras que lutam diariamente com os estereótipos da sociedade, foi por muitas destas coisas que me apaixonei na mulher que amo, não compreendo por isso o que leva um homem a agredir uma mulher.
é certo que os homens são (regra geral) pouco capazes de lidar com o que sentem, com a frustração, a dor a rejeição, e assumo faço parte desse vasco leque que tem essa incapacidade, mas agredir uma mulher?
Quem ama respeita acima de qualquer outra coisa, podemos não concordar, podemos até nem compreender, pode de facto doer e ser-nos difícil de lidar, mas se amamos alguém, respeitamos as escolhas e decisões dessa pessoa, não a agredimos de forma nenhuma.
Quem ama verdadeiramente quer ver a outra pessoa feliz, podemos dizer que o amor leva ao ciúme e que existe uma ténue linha entre o amor e a raiva, e sim é de facto verdade, mas o amor puro e sincero, não é nunca egoísta, se me doi pensar que um dia a mulher que amo irá viver momentos inesquecíveis com outro homem? Mentiria se disse-se que não, se me dói pensar que um dia ela poderá beijar outra boca?, claro que sim, mas acima de todas essas dores esta o desejo de a ver feliz, porque me dói muito mais pensar que ela é infeliz.
Quem ama protege, cuida, escuta, procura compreender por muito difícil que seja, a violência não é, nunca será solução.

Mais sobre o urso

imagem de perfil

Arquivo