Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de um urso

Um diário que não será diário mas repleto de coisas boas e más repleto de vida

Diário de um urso

Um diário que não será diário mas repleto de coisas boas e más repleto de vida

Cheguei ao limite das minhas forças

Não aguento mais, não podia ser mais evidente, o afastamento cada vez maior é evidedebte da pessoa que amo destruiu-me destruiu os meus sonhos, a capacidade de sonhar.

Sinto-me mais do que exausto doente, o corpo já dá sinais evidentes, tenho crises de anseadade que não me deixam dormir, sinto a cabeça pesada e a estoirar, o vazio e cada vez maior, a carência é também ela evidente, sinto-me fraco sem forças, sem coragem, sem perspetivas de futuro, sem nada.

Além das crises de anseadade tenho dores de cabeça e as funções básicas desreguladas, a paciência essa partiu para parte incerta. 

Eu não sou isto eu nso quero ser isto

Alguém desse lado tem algum concelho ou me pode ajudar?. Estarei eu no fim? Pelo menos no meu limite estou

Estou há beira de um esgotamento nervoso 

Socorro

O que é que eu não tenho?

Há dias em que só me apetece perguntar o que é que eu não tenho, o que me falta ou o que tenho de errado? Porque é que todas as minhas relações, e quando me refiro a relações não falo só das amorosas  acabam todas no mesmo, num afastamento  que estou eu a fazer de errado? Será que é a minha depressão é consequebte negatividade que afasta as pessoas todas  mesmo os amigos? Será que é a minha carência? Não entendo, cada vez me sinto mais só, cada vez si to mais que quando tento aproxinar-me de alguém esse alguém afastar-se de formas as vezes cordiais e afáveis outras nem tanto, a solidão cada dia que passa é maior a ausência da pessoa que amo cada vês se torna mais evidente longa e difícil, te tar ter outro alguém? Só para suprir a carência não seria justo e mesmo que tentasse quem me iria querer afi al como escrevi atrás toda a ge te we afasta, cada dia si to mais que não nasci para ser feliz.

Serei eu ma pessoa?

Terei nascido na época errada? Porque toda esta solidão forçada?

Alguém tem respostas? 

Acho que cheguei ao grau 0

Estou sem escrever aqui a cerca de uma semana  nem sei se alguém já notou a minha ausência visto que a minha presença por aqui não tem sido muito assídua, a verdade é que acho que cheguei ao grau 0, muitos temas teria eu para escrever, muita "tinta" teria eu para fazer escorrer por aqui e nos meus outros dois cantinhos, a verdade? A verdade é que me falta tudo, falta-me a inspiração, falta-me a vontade de escrever, falta-me a vontade até de ler, sim amigos perdoem-me por não estar presente nos vossos Blogs como antes, mas se isto dá escrita antes era um porto seguro algo em que me resguarda a e me dava prazer, hoje já nem paciência para isto tenho, já nso tenho paciência para nada nem para mim mesmo, nem para o que escrevo penso e digo, sinto-me exausto física e sobretudo psicológicamente.

Perdoem-me

Mas acho que bati no fundo

Quem ama não agride

Quem por aqui passa e lê há algum tempo, sabe que tenho um grande amor por uma mulher, amor esse que e fez viver momentos inesquecíveis mas que hoje em dia não e correspondido, tendo havido um certo afastamento que me dói imenso.
A minha análise de hoje parte do ponto acima para falar do assunto que está na ordem do dia, sim esse mesmo a violência domestica.
não consigo perceber o que passa na cabeça de um homem para agredir verbal ou fisicamente uma mulher, , tenho pelas mulheres em geral o maior respeito e admiração, e, podendo isto ser interpretado como um preconceito ou uma forma de estar machista (coisa que não me considero e não pretendo passar essa ideia, pedindo desde já desculpa às mulheres que me lêem, se isto vos parecer machista) tenho sempre um sentimento quase paternalista de protecção, não olho pra as mulheres como seres inferiores aos homens, bem pelo contrario, um ser humano tão multifacetado e com o dom maior de gerar vida, tem de ser protegido e é muito por ai que vem este meu lado protector, ao mesmo tempo admiro imenso as mulheres guerreiras, mães solteiras, empresárias lutadoras que lutam diariamente com os estereótipos da sociedade, foi por muitas destas coisas que me apaixonei na mulher que amo, não compreendo por isso o que leva um homem a agredir uma mulher.
é certo que os homens são (regra geral) pouco capazes de lidar com o que sentem, com a frustração, a dor a rejeição, e assumo faço parte desse vasco leque que tem essa incapacidade, mas agredir uma mulher?
Quem ama respeita acima de qualquer outra coisa, podemos não concordar, podemos até nem compreender, pode de facto doer e ser-nos difícil de lidar, mas se amamos alguém, respeitamos as escolhas e decisões dessa pessoa, não a agredimos de forma nenhuma.
Quem ama verdadeiramente quer ver a outra pessoa feliz, podemos dizer que o amor leva ao ciúme e que existe uma ténue linha entre o amor e a raiva, e sim é de facto verdade, mas o amor puro e sincero, não é nunca egoísta, se me doi pensar que um dia a mulher que amo irá viver momentos inesquecíveis com outro homem? Mentiria se disse-se que não, se me dói pensar que um dia ela poderá beijar outra boca?, claro que sim, mas acima de todas essas dores esta o desejo de a ver feliz, porque me dói muito mais pensar que ela é infeliz.
Quem ama protege, cuida, escuta, procura compreender por muito difícil que seja, a violência não é, nunca será solução.

Uma nova identidade

Boa noite meus queridos 

Hoje nasceu um outro lado deste urso, um lado mais sério e critico, o opinador e o seu 

blog fora da caixa

gostava muito de contar com todos os que por aqui passam e com muitos mais que queram vir, mas gostava ainda mais de fazer daquele blog u espaço colaborativo onde cada um expõe as suas opiniões sobre a actualidade e sobre tudo sem medos, quem alinha?

Viver não é para mim

Calma não se assustem com o título
E verdade que não gosto disto de viver, e assumo com desassombro, sei que isso faz confusão a muitos de vocês, mas acreditem ou não isto não é de todo efeito da depressão, é uma constatação diária que faço quando constato que as relações humanas são complexas, que as diferenças entre as pessoas são tão grandes que são tantas vezes inconciliáveis com o amor que nutrem, que a vida é feita muito mais de lágrimas de tristeza e de falsos sorrisos do que de genuína alegria.
Sinto-me deslocado não sei viver nesta complexidade.
Não sei lidar com a dor?
Sou emocionalmente imaturo?
Talvez seja, mas sinto-me sobretudo deslocado, inadaptado.
É difícil viver assim, num mundo que não é o meu, numa realidade que não é a minha, e não ter a coragem necessária para por termo a esta dor, sinto-me a mais, afinal o único que pensa e sente de forma diferente sou eu.
Sou eu que estou errado e inadaptado, mas não, não me adapto a este mundo, lamento.
Sinto-me assim:

 

 

Quando o vício é tão forte que...

Nem uma faca nos impede. 

Pois é meus caros segundo esta notícia.

 Na Rússia um homem tentou sair de um hospital para fumar um cigarro, até aqui tudo normal certo? Ia matar o vício, a questão é que o homem tinha uma faca espetada até ao punho da mesma, nas costas. É caso para dizer que o vício é tramado. 

Vejam o vídeo filmado por uma enfermeira que acabou por conseguir dissuadir o homem dizendo-lhe que este corria risco de vida, pelos vistos era algo que ele não sabia. 

 

Gostava tanto...

De saber escrever assim

Adoro música portuguesa, temos dos melhores letristas e interpretes do mundo, vozes únicas, mas tenho uma especisl admiração pelo senhor que se segue

E verdade que nso tem uma grande voz, mas as suas letras são profundas tocam são poemas dos mais belos que a música portuguesa conhece, toca no coração como poucos, fala de amor, de vida de solidão se paixão como poucos. Quando canta nso o faz em vez disso declama de forma musicados as suas palavras, que de tão suas não raras vezes perdem a intensidade quando cantadas por outros. 

E que dizer deste dueto? 

Uma voz tão bela cono a da Ana Moura abrilhantar a música com toques de guitarra portuguesa, a letra essa é linda como tantas do sr Pedro de vir as lágrimas aos olhos, como tantas, toca nas profundezas do meu íntimo (e acredito que no de muitos) expressando o que sinto com rara beleza

Adoro

E vocês? 

 

 

Road trip

Bem depois das Aventuras e desventuras contadas pela nossa querida Desarrumada sobre a sua viagem ao outro lado do mundo

E em particular a expriencia road trip  fiquei a pensar no que ela disse sobre a viagem lhe ter permitido pensar na sua vida, e de certa forma encontrar-se com ela própria.

Eis se não quando descubro Este site

foi hoje por um mero acaso mas deixou-me com uma enorme vontade de exprimentar acho que tal como a desarrumada preciso de sair partir para uma espécie de retiro  viver uma aventura que nem é assim tão fora da minha zona de conforto pois as minhas férias senpre foram em autocaravana com a família. Não será certamente para já, preciso antes de estabilizar a minha vida profissional e ter dinheiro, mas irei de certo fazer una road trip com um misto de cidade e natureza, cidade para visita natureza como retiro espiritual e relaxamento para me encontrar, ainda assim parece-me que ir sozinho isso sim fica demasiado fora de pé para mim.

Alguém alinha comigo? 

Mais sobre o urso

imagem de perfil

Arquivo